Qual o impacto da Independência do Brasil no cristianismo?

A abertura comercial do país contribuiu para a chegada e permanência dos protestantes

O Brasil é um país de maioria cristã que tem grande potencial para encorajamento da Igreja Perseguida

O Brasil é um país de maioria cristã que tem grande potencial para encorajamento da Igreja Perseguida

Hoje faz 198 anos que o Brasil se tornou independente de Portugal. Desde o início da colonização, o cristianismo esteve presente no território, já que era a religião oficial do governo português. Entretanto, apenas o catolicismo tinha o apoio dos governantes, dificultando a instalação de outras denominações protestantes no país.

Mas com a Independência do Brasil, em 1822, a nação que já estava se abrindo para o comércio internacional desde 1808, com a chegada da família real no Rio de Janeiro, recebeu influências de outras vertentes da fé cristã. Em 1824, os primeiros imigrantes alemães e luteranos fundaram a cidade de São Leopoldo (RS). Na década seguinte, as Sociedades Bíblicas Unidas da Inglaterra trouxeram exemplares da Bíblia em português para Curitiba (PR).

Em 1840, a Igreja Evangélica Fluminense foi fundada e 13 anos depois, nasceu a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro.  Atualmente, o IBGE calcula que existam 14 mil igrejas evangélicas no Brasil, com 22 milhões de membros, e 125 milhões de católicos romanos. Os dados revelam que o país, que não passa por perseguição religiosa, tem um grande potencial de interceder e investir financeiramente na causa da Igreja Perseguida ao redor do mundo.

Por isso, a Portas Abertas trabalha na divulgação dos desafios que irmãos e irmãs enfrentam ao redor do mundo por causa do amor a Jesus. Nosso trabalho atua em quatro frentes: distribuição de Bíblias e literatura, treinamento, ajuda socioeconômica e ações institucionais (consultoria jurídica, pesquisa e presença).

Agradecemos a todos os cristãos brasileiros que trabalham conosco para que a causa da Igreja Perseguida seja mais conhecida e apoiada. Reconhecemos que, sem a participação de cada um, o encorajamento dos irmãos hostilizados seria muito mais árduo. Nós queremos ser a resposta de oração de milhares de cristãos que vivem nos países da Lista Mundial da Perseguição 2020! 

Fonte: Portas Abertas

Nenhum comentário.