Cristãos perdem a vida em ataque durante a Páscoa na Nigéria

Durante passeata anual em comemoração da Páscoa, cristãos são atropelados por autoridade nigeriana. População reafirma perseguição religiosa

Cristãos na Nigéria enfrentam forte perseguição durante comemorações de Páscoa

Cristãos na Nigéria enfrentam forte perseguição durante comemorações de Páscoa

O início do domingo de Páscoa foi de muita tristeza entre os cristãos na Nigéria, 12º país na Lista Mundial da Perseguição 2019. Segundo relatos de testemunhas, um oficial muçulmano matou 13 pessoas que participaram de uma passeata de Páscoa em Sabon Layi, no estado de Gombe, nordeste da Nigéria. O evento em Sabon Layi é marco anual para comemorar a morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Embora alguns meios de comunicação locais tenham descrito a situação como um incidente, testemunhas oculares afirmaram que houve discussão e real intenção de matar. O relato é de que o oficial, acompanhado de um policial nigeriano, discutiram com um grupo de rapazes cristãos, discordando do controle de trânsito que faziam. “O oficial se recusou a usar a pista reservada para veículos e pegou a pista que estava sendo usada pelas pessoas durante a comemoração. Aparentemente, ele ameaçou atirar”, relatou uma testemunha.

Bastante nervoso, o oficial desligou os faróis do veículo e, em seguida, com movimentos em zigue-zague, acelerou contra o grupo de cristãos, no início da madrugada do domingo de Páscoa. A autoridade, instantaneamente, matou nove e feriu 32 pessoas, 12 delas gravemente. Entre os feridos levados ao hospital, quatro pessoas morreram, elevando o número de mortes para 13.

O incidente pode parecer um mal-entendido entre o oficial e os rapazes que faziam o controle do tráfego no local, mas os moradores locais veem isso como um exemplo da crescente intolerância contra os cristãos no estado de Gombe, e na Nigéria de maneira geral. “Antes desse incidente, houve confrontos isolados entre muçulmanos e cristãos na área, mas as coisas parecem estar se transformando em um conflito violento”, relatou um colaborador da Portas Abertas na região.

A situação na Nigéria é bastante difícil para os cristãos, especialmente, para as viúvas que perderam seus maridos devido à perseguição religiosa. 

Fonte: Portas Abertas

Nenhum comentário.