Após ser expulso de vilarejo, cristão refaz a vida no México

Com a ajuda de cristãos locais e da Portas Abertas, Lauro construiu uma casa e abriu uma pequena lanchonete

Hoje Lauro e a família vivem em outro vilarejo, onde construíram uma casa e abriram uma lanchonete graças às doações de parceiros da Portas Abertas

Hoje Lauro e a família vivem em outro vilarejo, onde construíram uma casa e abriram uma lanchonete graças às doações de parceiros da Portas Abertas

Em notícias anteriores, compartilhamos a história do pastor Lauro e sua família, do México, que foram expulsos da comunidade por não negar a fé em Jesus. Eles foram escoltados pelos líderes do vilarejo a uma outra aldeia em Ayontzitepec, onde foram abrigados em uma casa nos fundos de uma igreja. Eles viveram nessa casa por um ano, até que um membro da igreja lhes deu um terreno, onde Lauro construiu uma casa com a ajuda de outros cristãos.

Uma nova vida estava surgindo para uma família que tinha enfrentado constante perseguição relacionada à fé cristã. Uma das fontes da ajuda que Lauro recebeu foi a Portas abertas. “Quando a Portas Abertas chegou a nossa vida, foi como se Deus tivesse enviado anjos para nos ajudar com os desafios que estavam por vir”, afirma Lauro.

A Portas Abertas ajudou Lauro e a esposa, Amalia, com recursos financeiros para que abrissem uma pequena lanchonete no centro de Ayontzitepec. Chamada “Maná do Céu”, a cafeteria oferece vários tipos de comida mexicana, como tacos, quesadillas, empanadas de queijo e frango, entre outras coisas. Hoje Lauro se alegra, dizendo: “A ajuda que recebemos nos auxiliou a seguir adiante e sustentar nossa família, pois eu não tinha um emprego ou uma terra para arar, eu era praticamente um estrangeiro”.

Bênção disfarçada de perseguição

Para Lauro, a experiência de ser perseguido por ser cristão é uma bênção disfarçada. Agora ele pastoreia uma igreja de cerca de 40 pessoas. Ele também é um colaborador da Portas Abertas, ajudando outros cristãos perseguidos a entenderem o que estão passando, a permanecerem firmes na fé e a receberem cura.

Aos poucos, após receber a tarefa de visitar cristãos perseguidos em diferentes lugares, Lauro compreendeu que era sua missão ajudar outros cristãos perseguidos por causa da fé, assim como ele foi. Ele testemunha: “Eu gosto do que faço porque me identifico com meus irmãos e irmãs na dor da perseguição que eles enfrentam. Eu entendo cada uma das palavras deles porque passei pela mesma coisa. Eu faço esse trabalho de todo coração”.

Lauro agradece as orações de todos os parceiros da Portas Abertas, dizendo: “Eu nunca imaginei que havia tanta gente orando por nós. Isso é o que me faz continuar e fortalece a minha fé. Obrigado a todos”.

Fonte: BBC Portas Abertas

Nenhum comentário.